Você está lendo...
Cor/Raça

A influência da Cor/Raça no Brasil, segundo dados da PNAD 2012

Apesar de constituir um país cultural e etnicamente diverso, fatores históricos que ainda estão enraizados na sociedade brasileira reproduzem preconceitos etnicos/raciais. Esses preconceitos são evidentes nos resultados da Pesquisa das Características Étnico-Raciais da População (PCERP), realizada pelo IBGE em 2008, que revela que para 63,7% dos brasileiros entrevistados a cor ou raça influencia na vida. Para eles(as) essa influência é mais evidente no âmbito laboral, sendo que o trabalho aparece em primeiro lugar dentre as situações nas quais a cor ou raça tem maior influência, com 71% das respostas.

A seguinte tabela ilustra, com dados da PNAD 2012, a diversidade étnica da população brasileira (constituída por 187,97 milhões de pessoas no momento da entrevista do IBGE):População segundo Cor-Raça Por outro lado, uma vez que o mercado de trabalho aparece na percepção pública como o principal espaço de discriminação étnica/racial, na continuação se apresentam a média e a mediana (P50) da renda salarial mensal em reais das pessoas ocupadas (trabalhadores ativos no momento da entrevista em 2012). A tabela mostra uma superioridade salarial das pessoas de cor branca em relação com as pessoas das cores preta e parda e da raça indígena; com uma brecha salarial (da mediana) de R$250 e R$ 300 para as pessoas das cores preta e parda respectivamente.Renda Salarial segundo Cor-RaçaOutra forma de discriminação racial evidente na sociedade brasileira está representada pelo relativamente reduzido número de pessoas de cor/raça preta/parda/indígena inseridas no sistema de ensino universitário. Neste sentido, as seguintes tabulações ilustram – com dados da PNAD 2012 e PNAD 2003 – a escolaridade por nível de ensino dos brasileiros nesses períodos.Níveis de Ensino segundo CorRaça 2012Na primeira tabela (2012) podemos observar taxas de conclusão do ensino superior mais elevadas para as pessoas de cor branca (11,28%) e amarela (24,56%); em relação com as pessoas de cor preta (3,94%) e parda (3,79%) e de raça indígena (3,89%).

Analisando os dados de 2003 (tabela acima), podemos afirmar que depois de uma década a percentagem relativa de pessoas com curso superior completo aumentou significativamente (REUNI? PROUNI? FIES?). Em 2003, o percentual de pessoas de cor preta, parda e de raça indígena que concluíram o ensino superior foi de 1,74%, 1,49% e 1,32%, respectivamente. Para as pessoas de cor branca a PNAD também sugere uma maior democratização da educação superior, uma vez que em 2003 apenas 6,78% concluíram seus estudos de graduação.

Níveis de Ensino segundo CorRaça 2003

Anúncios

Discussão

Um comentário sobre “A influência da Cor/Raça no Brasil, segundo dados da PNAD 2012

  1. mto bom este blog…

    Curtir

    Publicado por CARLOS ALBERTO DA SILVEIRA | 23 setembro, 2014, 1:41 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: